BAD apoia promoção do agronegócio no país

O GOVERNO moçambicano e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) assinaram um acordo no valor de 1,5 milhão de dólares para a elaboração de um plano-director com vista a fortalecer o desenvolvimento integrado do agronegócio e infra-estruturas nas províncias de Niassa e Cabo Delgado.
O valor também será aplicado para a actualização dos estudos ambientais e de engenharia para a construção do troço Roma-Mueda, ficando assim assegurada a contribuição do BAD para a conclusão da estrada Mueda-Negomano, em Cabo Delgado, que liga Mueda e o mercado da Tanzânia.
Refira-se que a estrada Mueda-Negomano vai ajudar a estimular as trocas comerciais entre os dois países. Actualmente, as populações enfrentam enormes dificuldades de se comunicar devido à intransitabilidade da estrada na estação chuvosa.
“O programa de desenvolvimento das cadeias de valor e de mercados ao longo do corredor Lichinga-Pemba tem como objectivo promover um agronegócio competitivo e inclusivo, através do aumento da produção agrícola e produtividade, fornecimento de infra-estrutura rural para a produção, uso de insumos agrícolas de qualidade, processamento de produtos agrícolas e acesso ao mercado”, refere um comunicado do BAD enviado à Redacção da AIM.
O acordo foi assinado à margem da reunião anual do BAD que decorreu em Busan, na Coreia do Sul, entre 21 e 25 de Maio corrente, no qual Moçambique se fez representar por uma delegação chefiada pelo Ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane.
“Investimos na Faculdade de Agronomia na UniLúrio para preparar os novos empreendedores agrónomos da província do Niassa para os desafios da indústria moderna e ainda na construção de laboratórios agrícolas”, explica o representante do BAD. Para isso, acrescenta, são precisas “infraestruturas elétricas que estão integradas e finalizadas no desenvolvimento no sector agrário”.

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT