Produção agrária poderá suprir o défice alimentar em Tete

A ministra da Saúde, Nazira Abdula, disse ontem em Tete, ter constatado que a produção agrária poderá suprir o défice alimentar dos distritos do centro e sul da província, que foram afectados pela estiagem, seca e praga da lagarta do funil de milho.
Esta constatação foi apresentada durante o final da monitoria da campanha agrária 2017/2018, realizada por uma brigada do Conselho de Ministros, chefiada pela ministra da Saúde, Nazira Abdula.
“Constatámos que, como é característica da província, em que a região norte produz mais do que as outras, as bolsas de fome que possam existir no centro e sul de Tete podem ser supridas com a produção alcançada na região norte”, afirmou.
A zona nortenha da província de Tete é constituída pelos distritos de Angónia, considerado celeiro; Tsangano, Macanga, Chiúta e Marávia, os quais nas campanhas agrárias têm tido boas colheitas.
Por sua vez, José Mendonça, responsável do sector da Agricultura e Segurança Alimentar em Tete, disse que os distritos que sofrem frequentemente seca e/ou estiagem, na província, são Moatize, Dôa, Mutarara, Changara, Marara, Cahora Bassa e Mágoè.
Para a campanha agrária 2017/2018, a província perspectiva produzir 3.042.790 toneladas de culturas diversas, contra 2.749.032 toneladas da campanha anterior.
Na presente safra agrícola estão envolvidas 447.706 famílias camponesas, o que representa 3,6 por cento de crescimento, em relação à safra finda. Foram lavrados e semeados na primeira época agrícola uma área de 1.110 mil hectares, dos 994.942 planificados.(Jornal Notícias)

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT