IIAM produz novas variedades de culturas alimentares

Novas variedades de culturas alimentares de maior rendimento estão a ser produzidas no distrito de Angónia, província central de Tete, pelo Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM).
O director provincial da Agricultura e Segurança Alimentar, José Mendonça, disse ontem, à AIM, trata-se de milho de ciclo curto e longo, feijão vulgar com elevado nível de ferro, amendoim e soja, já em multiplicação. “Estas novas variedades de culturas serão disseminadas ao nível do sector familiar dos distritos de Angónia, Tsangano e Macanga, regiões com grande potencial agrícola”, explicou.
Ao produzirem as culturas, os camponeses beneficiários irão aumentar os seus níveis de produção e, por via disso, a sua renda será incrementada, incluindo a dieta.
Ainda ontem, terminou a capacitação de mais de 30 extensionistas de agricultura que tiveram conhecimentos sobre como detectar a praga da lagarta do funil de milho, os quais serão disseminados aos camponeses para que não percam as suas culturas devido à devastação.
“Tínhamos conhecimentos teóricos, mas a partir desta capacitação estamos em melhores condições de transmitir os conhecimentos aos camponeses para que quando aparecer a praga comuniquem imediatamente ao sector agrário para o seu combate,” disseram os formandos.
A praga da lagarta do funil de milho é nova em Moçambique. Ela foi detectada em 2016, e em Tete foi descoberta nos princípios deste ano.
Segundo Mendonça, 14 mil famílias camponesas perderam cerca de 29 mil hectares de culturas diversas, devido à estiagem, seca e praga da lagarta do funil de milho.
As áreas das culturas de milho, mapira, mexoeira e hortícolas destruídas localizam-se nos distritos de Moatize, Marara, Chiúta, Mágoè, Cahora Bassa, Changara, Chifunde, Mutarara e Dôa. (Jornal Notícias)

Artigos relacionados

ordu escort escort kıbrıs izmit escort bodrum escort rize escort konya escort kırklareli escort van escort escort halkalı erzurum escort sivas escort samsun escort tokat escort