Pós-ciclone Manica aposta na agricultura

Algumas famílias vítimas do ciclone tropical Idai, que já regressaram às zonas de residência, estão a retomar a sua actividade normal e a tentar sair da dependência de assistência humanitária, apostando nas culturas da segunda época para a presente campanha agrícola na província central de Manica.
São famílias que se tinham abrigado nos centros de acomodação após a destruição das suas residências, desde o passado dia 16 de Março, quando da passagem do ciclone Idai.
Estimativas do governo provincial indicam que o ciclone destruiu 452 528 hectares de culturas diversas, afectando 17 170 famílias camponesas nos distritos de Sussundenga, Mossurize, Vanduzi, Macate e cidade de Chimoio.
Entretanto, muitas pessoas já abandonaram os centros de acomodação e estão a reconstruir as suas residências, para além de outras que estão a ser reassentadas em zonas seguras para evitar desastres de gênero no futuro.
Em Manica, o fenômeno atingiu, directamente, 56 mil famílias, tendo deixado cerca de 280 mil pessoas na penúria, necessitando de assistência directa em víveres e outro tipo de cuidados adicionais.

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT