V Conselho Coordenador do MASA avalia desempenho do sector agrário

MASA reunido em Conselho Coordenador

O Ministro da Agricultura e Segurança Alimentar Higino de Marrule disse durante o seu discurso de abertura, em Gondola, província de Manica que o V Conselho Coordenador propõe ˗se a avaliar o desempenho do sector agrário no presente quinquénio e definir as linhas de orientação para o próximo quinquénio que inicia em Janeiro de 2020
No seu discurso de abertura, o Ministro da Agricultura realçou que o evento decorre sob o lema “Moçambique no aumento da produção e da produtividade rumo à fome zero”, pela necessidade de concentração de esforços na massificacão da produção com vista a erradicação da fome no país
Dados partilhados pelo Ministro do pelouro sobre os resultados da campanha agrária 2017/2018, a produção de cereais foi de acerca de 3,2 milhões de toneladas contra 2,5 milhões registadas na campanha 2014/2015 representando um crescimento de 28%, quanto as leguminosas saíram de 931 mil toneladas em 2014 para 987 mil na campanha 2017/2018 registando um crescimento de 6%.
Nas raízes e tubérculos, o crescimento foi de cerca de 58%, fruto da variação de aproximadamente 9,5 milhões de toneladas na campanha agrária 2014/2015 para 15 milhões na campanha 2017/2018 com destaque para a mandioca e nas hortícolas saímos de 1,3 milhões de toneladas na campanha 2014/2015 para 2,9 milhões na campanha 2017/2018 representando um crescimento superior a 100%
Para o Ministro, no tocante a culturas de rendimento o destaque vai para o subsector do caju, ao passar de 63 mil toneladas na campanha 2014/15 para 129 mil na campanha 2018/19, o que representa um crescimento acima de 100% e a renda gerada pela exportação da castanha de caju passou de 30,3 milhões em 2015 para 154 milhões em 2018 e durante esse período foram operacionalizadas 6 fábricas de processamento da castanha do caju acumulando um total de 16 unidades fabris, contra 10 em 2010, o que gerou mais de 16 postos de empregos.
No subsector da pecuária reduziu˗se a importação do frango em cerca de 70% devido ao crescimento assinalável de produção do frango em 18,7%, onde saíram de 75 mil toneladas em 2915 para 89 mil em 2018 e nos ovos de 9 milhões de dúzias em 2015 subiu para 13 milhões em 2018 e quanto a produção de carne bovina de 12 mil toneladas em 2014/2015 subiu para 15,4 mil e 2018, equivalente a um crescimento de 22%.
Neste contexto, o Ministro referiu que, face aos resultados da campanha agrária registaram um impacto positivo na melhoria da segurança alimentar e nutricional, tendo subido para 85% em 2018, a percentagem dos agregados familiares com acesso adequado aos alimentos contra 66,5 em 2014.
“ O crescimento que o sector conheceu deveu˗se a medidas de politica, dentre as quais a isenção do IVA na importação de matérias-primas e equipamentos para o sector agrário, a introdução do programa nacional de mecanização através do qual foram operacionalizados 134 centros de serviços, comportando 741 tractores o que permitiu lavrar uma área de 187.000 hectares na campanha 2017/18 contra 41.760 das campanhas anteriores e a contratação de extensionista foi preponderante, cujos técnicos do sector publico e privado passaram de 1,261 para 3.268 em 2018 ˮ.
O Ministro revelou que, não obstante os resultados alcançados há necessidades de continuar a reflectir formas de como elevar os níveis de produção e produtividade face aos actuais obstáculos que se prendem com as mudanças climáticas com impacto significativo no sector agrário.
“ A passagem do ciclone Idai afectou cerca de 684.171 hectares de culturas diversas e cerca de 433.056 famílias e o sector pecuário teve perdas de animais na ordem de 5.400 bovinos, 10.300 pequenos ruminantes, 3.172 suínos e 123 mil aves, afectando cerca de 15 mil criadores ˮ.
Neste contexto, para fazer face a estes fenómenos foi elaborado o plano de recuperação, cujas intervenções estão viradas para a melhoria da capacidade produtiva dos produtores, através da distribuição de insumos e de instrumentos agrícolas e reabilitação de pequenas infra-estruturas hidráulicas.
Por seu turno, o Governador da Província de Manica, Rodrigues Alberto saudou a direcção do MASA pela escolha da província para a realização do evento, numa altura que a zona centro do país procura reerguer˗se dos efeitos desastrosos do ciclone Idai que destruíram cerca de 453,069 hectares, afectando 22.933 produtores e destruído infra˗estruturas económicas e cruciais para o desenvolvimento do sector agrário.
“A realização deste V conselho Coordenador do MASA na nossa província enche˗nos de esperança de que aqui serão discutidas as melhores formas de recuperação pós˗Ciclone, bem como as estratégias de resiliência contra estes fenómenosˮ.
Para o Governador reconheceu que o grande desafio da província centra˗se na industrialização da agricultura como forma de rapidamente alavancar a produção e produtividade na província.

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT