Tete aposta na produção avícola baseada no associativismo

As autoridades ligadas ao sector da pecuária em Tete estão a incentivar os avicultores para que adiram ao associativismo ou cooperativismo de modo a assegurar uma produção de frango e de ovos de qualidade.
A ideia é continuar a melhorar os níveis de produção de modo a assegurar o abastecimento do mercado local e reduzir as importações de ovos, frangos e seus derivados.
José Pereira Mendonça, director provincial de Agricultura e Segurança Alimentar em Tete, apelou, recentemente, aos praticantes da actividade avícola ao nível da província para que acompanhem a evolução do mercado de modo a satisfazer a demanda de carne de frango e ovos.
Mendoça falava no decurso de um seminário com avicultores realizado há dias, na cidade de Tete. O encontro, o primeiro do género, constituiu uma réplica da Reunião Nacional de Avicultores realizado em Nampula, para a massificação da actividade avícola no país.
“A nossa província está a conhecer um ritmo elevado de desenvolvimento e crescimento socioeconómico, acção que trás consigo enormes desafios em termos de segurança alimentar e nutricional, pelo que temos de redobrar esforços para uma caminhada em paralelo com os níveis de crescimento”, disse José Pereira Mendonça.
Apontou que, para a conquista do mercado, os avicultores devem pautar pela produção de frango de boa qualidade, o que requer um acompanhamento rigoroso na alimentação e tratamento das galinhas na fase do seu crescimento.
O director provincial de Agricultura e Segurança Alimentar em Tete lembrou que o governo está ainda empenhado na criação de condições para o crescimento da actividade avícola na província, desde a implementação dos projectos de produção de pintos, ovos e fabricação de ração para a alimentação das aves.
Assim, foi instalada no município da vila de Úlonguè, distrito de Angónia, uma incubadora da empresa Escolha do Povo, para a produção do pinto do dia, inserido no programa de Bolsas de Valores para a actividade avícola na província.
“Queremos imprimir uma outra dinâmica no seio dos avicultores, numa perspectiva virada para o Agronegócio, Segurança alimentar e Nutricional”, apontou Pereira Mendonça.
Já o chefe do Departamento de Pecuária, na Direcção provincial de Agricultura e Segurança Alimentar em Tete, Cláudio Gule, indicou que os avicultores estão sendo aconselhados para uma produção baseada no associativos ou cooperativo, para uma rentabilidade melhor e adequada às exigências do mercado.
Cláudio Gule afirmou que, para além de elevar os índices de produção e produtividade, este sistema é o mais aconselhável porque permite ao governo planificar e direccionar os apoios necessários em termos de assistência técnica e medicamentosa e a massificação da actividade avícola na província, contribuindo para o alcance de metas de produção de frangos e ovos de boa qualidade.(JN).

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT