Lançada em todo País a Campanha Agrária 2018/19


Durante as cerimónias centrais do lançamento da campanha agrária 2018/19, o presidente da Republica de Moçambique referiu que desde 2015 o país tem vindo a alcançar níveis de produção encorajadores, onde em 2017, a economia do país cresceu e a inflacção reduziu de forma significativa, devido ao desempenho do sector agrário que também permitiu a redução de insegurança alimentar de 50% para 24% no país.
O evento que decorreu no dia 25 de Outubro de 2018, na provincial de Cabo Delgado, Distrito de Balama, na localidade de Mpaca, aldeia de Magaia, sob Lema “Moçambique pelo Aumento da Produção e Produtividade Rumo a Fome Zero”.
Na sua intervenção o Presidente da Republica, referiu que a campanha 2017/18 que ora finda, estima-se um crescimento de 3.2 milhões de toneladas de cereais, contra 2.5 milhões/toneladas da campanha 2014/15, registando um acumulado de 28%.
Ainda neste balanço, frizou que as leguminosas registaram um crescimento de 25% devido a massificação da produção e produtividade, onde saiu se de 666 mil toneladas para actuais 832 mil toneladas. As raízes e tubérculos apresentaram um crescimento de cerca de 50%. Uma variação de cerca de 10 milhões de toneladas, para cerca de 15 milhões toneladas, com destaque para a mandioca. A produção de hortícolas que é a bandeira nacional, subiu de 1,7 milhões de toneladas, para 3 milhões na campanha 2017/18.
No tocante a cultura de rendimento destacou-se a cultura de caju que passou de 81 mil toneladas em 2014/15 para 140 mil toneladas em 2017/18, o que confere um crescimento na ordem de 72.8%. Já no subsector açucareiro, em 2017 o país alcançou 302 mil toneladas de açúcar contra 292 mil toneladas. Para o presente ano estima-se alcançar cerca de 350 mil toneladas, o que vai permitir que o país seja autossuficiente neste recurso, devido aos níveis de investimento que estão a ser alocado até ao presente momento no subsector.
O país produziu 109 mil toneladas de carne na campanha 2017, contra 91 mil toneladas em 2015, onde a produção de frangos cresceu em produção de 75 mil em 2015, para 89 mil toneladas em 2017. “o maior ganho é a redução da importação para cerca de 70%
No que se refere a carne bovina registou-se um aumento de produção de 12,3 mil toneladas em 2015 para 15,4 mil toneladas para campanha finda, que representa uma taxa de crescimento 25,2%, e nesta área o governo incentiva a produção do leite.
Outros ditantes para este crescimento, é a contratação de mais técnicos extensionistas para assistir os produtores em novos distritos, a massificação de técnicas como escola na machamba do camponês, a redução das taxas tributárias como a isenção do IVA, contribuirá para a redução dos custos de produção.
Entretanto o Presidentes a Republica reconheceu que o futuro da agricultura passa necessariamente por aumentar condições para que os jovens abraçem o sector e aproveitem as oportunidades para geração de renda para si e seu agregado familiar.
Na ocasião o Presidentes a Republica orientou ao Ministério da Agricultura e Segurança (MASA) para acelerar a actualização do inquérito agrário, porque só com dados actuais e fiéis será possível adoptar políticas estratégias e mais eficazes.
Instruiu os produtores e criadores a organizarem-se em associações para poderem influenciar os preços de venda dos seus produtos, para que tudo seja em prol da garantia dos produtores e comprador.
Para terminar o Presidente da Republica agradeceu o Povo Moçambicano em Geral, e em particular a todos agricultores, criadores, fornecedores de insumos e prestadores de serviços, por estarem na linha da frente rumo a fome zero até 2030, declarando assim “LANÇADO A CAMPANHA AGRÁRIA 2018/2019”.

Artigos relacionados

ordu escort escort kıbrıs izmit escort bodrum escort rize escort konya escort kırklareli escort van escort escort halkalı erzurum escort sivas escort samsun escort tokat escort