INHAMBANE PREVÊ PRODUZIR CERCA DE 3 MILHÕES DE TONELADAS DE CULTURAS DIVERSAS

A informação foi dada a conhecer no dia 12 de Novembro do ano em curso no distrito de Jangamo, localidade de Cumbana, no âmbito da réplica da cerimónia do lançamento oficial da campanha agrária 2021/2022 e do lançamento nacional da campanha de comercialização da castanha de caju.

Na ocasião, Daniel Francisco Chapo, Chefe do Executivo Provincial, disse que na campanha agrária finda, 2020/2021, a Província produziu 2.904.009 toneladas contra 2.806.058 toneladas de culturas diversas, representando um crescimento de 3,5% em relação ao igual período da campanha agrária 2019/2020. Igualmente, avançou que a produção de carnes foi de 31.666,3 toneladas contra 33.027,3 toneladas em igual período do ano anterior o que representa um decrescimento em 4.1% sendo de 2744,4 de carne diversa e 28.921,9 toneladas de pescado diverso.

Num outro momento, o Chefe do Executivo Provincial frisou que a Província comercializou 17 mil toneladas de castanha de caju, o que fez circular nas mãos dos produtores cerca 600 milhões de meticais para além da receita resultante da venda de sumos e aguardente de caju, permitindo desta forma a melhoria da vida das famílias produtoras. Para presente campanha, espera comercializar 19.400 toneladas, o que poderá garantir uma receita de mais de 800 milhões de meticais aos produtores.

Na assistência aos produtores, o dirigente salientou que se registou um crescimento em 4,6% graças a afectação de mais 346 extensionistas sendo 317 da rede pública incluindo os extensionistas ramais de caju e 29 extensionistas das Organizações não Governamentais.

Para terminar, o governante apelou aos produtores no sentido de iniciarem as sementeiras tardiamente, para coincidir com o período de abundância de chuvas. Por outro lado, exortou que a aposta deve ser em semente de ciclo curto tendo em vista a necessidade de maximizar os recursos hídricos e garantir a produção em condições ideais.

Importa referir que participaram nesta cerimónia membros do Conselho Executivo e de Representantes de Estado da Província, Director Geral do Instituto de Amêndoas em representação do MADER, técnicos do MADER e IAM, técnicos do Sector Agrário do Nível Provincial e Distrital, produtores, comerciantes, provedores de insumos e outros intervenientes da cadeia de valor da produção de culturas alimentares e de castanha de caju.

Artigos relacionados

English EN Portuguese PT