Associativismo agrícola ajuda os pequenos produtores a acederem o mercado e prosperarem

Paulo Zefanias Chilune, de 51 anos de idade, nunca auferiu se quer um salário. Mas é um dos moçambicanos que mais trabalha para a sua subsistência. Não só a sua, mas tambem a de centenas de moçambicanos espalhados, sobretudo, pela cidade e província de Maputo. Chilune não esconde o orgulho da sua profissão. Não sabe o que seria se não fosse produtor. A certeza que tem é que a agricultura poupou lhe de um eventual sofrimento.

Artigos relacionados

ordu escort escort kıbrıs izmit escort bodrum escort rize escort konya escort kırklareli escort van escort escort halkalı erzurum escort sivas escort samsun escort tokat escort